O Comandante e Tenente-Brigadeiro da Aeronáutica Carlos de Almeida Baptista Junior soltou o verbo e se pronunciou sobre os ataques do Presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) contra as Forças Armadas.

Nesta semana, o Senador Omar Aziz acusou que membros das Forças Armadas são corruptos, e isso enfureceu os militares, que através de nota de repúdio assinada pelo Ministro da Defesa Braga Netto agiu com certa “cordialidade”.

Entretanto, o Tenente Baptista Junior disse em entrevista concedido ao Jornal O Globo, nesta Sexta-feira, 9 de Julho, que a carta foi apenas um aviso:

“Nós precisamos entender que o ataque pessoal do senador à instituição militar não é cabível a alguém que deseje ser tratado como Vossa Excelência. Porque nós somos autoridades. O comportamento de cada um de nós, das autoridades, exige ponderação e entendimento do todo. E essa disputa política do país é normal, mas sinto ser em tão baixo nível, em nível muito raso”.

O chefe da Aeronáutica reiterou que os militares vão agir, caso ataques levianos não cessem, e disse que trata-se de “mecanismos dentro da base legal”:

“Façam o devido processo legal, apurem as responsabilidades, doa a quem doer. Não temos qualquer intenção de proteger ninguém que está à margem da lei. O estado democrático de direito, que é uma unanimidade da sociedade, exige que os princípios legais sejam seguidos. E que ninguém seja julgado prematuramente. Mas, uma vez comprovado que agiu à margem da lei, que cada um pague na forma da lei”, complementou.

Fonte: Revista Oeste


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui