O candidato a vereador na cidade de Ipojuca, em Pernambuco, o Rodolfo Cornetinha (Avante), descobriu no dia da votação que divulgou o número errado durante toda a campanha. O postulante à uma vaga no Legislativo municipal fez uma postagem no dia da eleição, no último domingo (15), pedindo que os eleitores votassem no número correto, mesmo depois dele ter distribuido folhetos e compartilhado o jingle com o número 70.963 ao invés de 70.936.
O candidato apareceu chorando no vídeo publicado nas redes sociais em que pedia aos eleitores para corrigirem o número na hora da votação. No entanto, a tentativa não surtiu efeito e Cornetinha recebeu apenas 30 votos, insuficiente para ser eleito.
“Quero dar uma notícia não muito agradável, hoje de manhã recebi pelo TRE, esse tempo todo eu estava divulgando o meu número de divulgação e o número tá errado . O número é 70.936. Esse tempo todo divulgando meu número, pedindo pro pessoal votar em mim e agora em cima da hora, a eleição é hoje domingo, dia 15 de novembro de 2020, e peço a vocês, me ajudem, é 70.936″, declarou no vídeo publicado nas redes sociais.
Com informações do blogue Siga notícias

Já em Jambeiro (SP) Candidato a vereador faz campanha com número errado e só descobre na hora da votação. Aposentado de Jambeiro (SP) pleiteava uma vaga na Câmara, mas perdeu votos com o erro no material de campanha.

Quando ficou em frente à urna eletrônica no último domingo (15), o aposentado Alaor José Machado, de 63 anos, digitou o número que recebeu no santinho da própria candidatura a vereador de Jambeiro (SP). Esperava ver a própria foto ao digitar os cinco números, mas o que viu foi a mensagem “candidato inexistente”. Foi então que descobriu que, na verdade, ele fez campanha com o número errado de candidatura.
Quem informou Alaor sobre o erro foi a juíza responsável pela seção. Ao questioná-la o motivo da urna não ter o número dele, uma checagem foi feita e identificaram o que aconteceu. O santinho de Alaor informava que o número dele era 15.413. Porém, para a Justiça Eleitoral, o número correto era 15.412.
“Estou tentando saber o que aconteceu. Não sei se o partido [MDB] passou errado para a gráfica ou se a gráfica que errou na hora de imprimir. Quando me deram os santinhos para fazer a campanha, divulguei para as pessoas acreditando que estava certo. Como moro na zona rural de Jambeiro, o acesso à internet é mais complicado. Não consegui conferir no site do TSE se era realmente isso. Confiei no número que me passaram no santinho”, contou Alaor.
O aposentado diz ter recebido do partido apenas uma remessa de santinhos e demais materiais de campanha. Usou essa remessa ao longo dos últimos dias e esperava contar principalmente com os votos das pessoas que disseram que iriam votar nele.
De certa forma, Alaor conseguiu identificar algumas pessoas que realmente votariam nele. Isso porque elas procuraram ele para falar sobre o erro ou questionar se ele tinha desistido, já que não conseguiram votar naquele número. De acordo com dados do TSE, Alaor recebeu apenas seis votos.
“Muitas pessoas me procuraram falando que não conseguiram votar em mim. Quando eu descobri que estava errado, só não divulguei no domingo que meu número era outro porque poderia parecer que eu estava fazendo campanha no dia da eleição. Isso é errado. Segui certinho todas as regras. Daí não pude avisar as pessoas que estava errado”, contou.
A Câmara de Jambeiro tem nove vereadores. O mais votado na eleição de domingo foi Alan da Quitanda, do PL, com 283 votos.
Alaor entrou em contato nesta segunda-feira (16) com o responsável pelo partido MDB em Jambeiro, mas não teve resposta até o fim da tarde. O G1 também tenta contato com o representante da sigla na cidade, mas também ainda não teve retorno.Com informações do G1

Quer receber nossas notícias direto em seu Whatsapp? Clica no botão abaixo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui