Por meio de sua assessoria, a Precisa Medicamentos divulgou um vídeo preparado pelo próprio CEO da empresa, Francisco Maximiano, com uma lista de mentiras contadas pelos irmãos Luís Miranda, deputado federal, e Luís Ricardo Miranda, servidor do Ministério da Saúde (MS).

Segundo Maximiano, as mentiras vão desde afirmar que a “invoice pro forma” é equivalente a uma nota fiscal de um compromisso de pagamento até a cronologia entre o primeiro contato com MS, o envio da invoice, a reunião com o presidente Jair Bolsonaro e a revisão de pontos específicos da invoice.

De acordo com o presidente da Precisa, o vídeo foi enviado aos senadores da CPI da Pandemia para dar uma espécie de satisfação, uma vez que seu depoimento foi cancelado para dar lugar ao de Luiz Paulo Dominguetti.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui